terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Esquecer ou Lembrar, eis a Questão.


Introdução:
Há momentos em nossas vidas que a Bíblia vai nos mandar esquecer. São fatos e situações que não devem ser lembradas. Mas há momentos importantes que vivenciamos e que a Bíblia vai nos mandar lembrar, ou trazer a memória.
O que devemos esquecer?
“As coisas que para traz ficam” Filipenses 3.12,13.
Se eu tenho um direcionamento, ou seja: um norte, um propósito, um alvo, um objetivo, não posso estar olhando para traz. Quando olhamos para traz, paramos automaticamente, ou diminuímos a velocidade. Isto fará a minha mente voltar ao passado, as coisas que deixei para traz. Em fração de segundos, fico a avaliar a importância que tiveram ou não, em minha vida. Com isto acontecendo eu perco o foco, fico fora do ar e acidentes possivelmente acontecerão. Se estivermos participando de uma corrida ou maratona e em meio a corrida decidirmos olhar para traz, muitas coisas desagradáveis podem ocorrer. Nossos competidores passarão batidos por nós. Poderemos atropelar que está na nossa frente. Isto poderá nos tirar da corrida. Isto faz nos lembrar da ordem que os anjos deram a Ló, sua esposa e suas filhas.; “Não olhem para traz”. Mas a mulher de Ló não levou esta advertência a sério. Ela por certo havia deixado muitas coisas valiosas para traz, esquecendo-se que o bem mais valioso que ela tinha era a sua própria vida. Não resistiu as lembranças e olhou para traz. Resultado: Virou uma estátua de sal.
Outra coisa que devemos esquecer são os pecados confessamos e  perdoados e que Deus faz questão de esquecer.. Isaías 43.23
 Se já recebemos o perdão de Deus e das pessoas envolvidas, devemos nos perdoar também. Não devemos ficar nos machucando com algo que já foi resolvido. Quanto a estes pecados que acabamos de falar, o próprio Deus vai lança-lo no mar do esquecimento e não se lembrará de mais deles. Nos também devemos fazer o mesmo. Nada de ficarmos nos martirizado.
Devemos ainda nos esquecer das mágoas, das amarguras, dos ressentimentos, das frustrações dos abusos sexuais, das intrigas, enfim de tudo o que nos machuca e nos faz sofrer novamente. O mundo está cheio de pessoas que trazem a memória situações ruins e deprimentes, que os levam a beberem ate ficarem bêbados, a cometerem assassinatos, a se drogarem e a té se suicidarem por sentir vergonha de seu passado. Isto não é bom. O que estas pessoas devem fazer é liberar o perdão para si mesmo e também quem os magoou e os fez sofrer tanto. Para esquecer estas lembranças dolorosas do passado, PERDOAR É PRECISO.
De que devemos nos lembrar?
De nossas origens. 1 Crônicas 17.7
Deus certa vez disse a Davi para que ele se lembrasse de onde Ele Deus o tirou de detrás das malhadas, para que fosse chefe de seu povo. 1 Crônicas 17.7 Com esta palavra Deus estava dizendo a seu servo Davi, que ele não deveria se esquecer jamais de onde Deus o tirou. Isto é Davi precisava lembrar sempre que era de origem humilde. É muito comum pessoas que hoje são bem sucedidas, mas que são deorigem humilde, fazer de tudo para que esta página de sua vida seja virada para sempre. Eles só querem que seja lembrado este momento de fama e de sucesso. Parece até que já nasceram ricos. Alguns nunca mais voltam a cidade onde nasceu ou o bairro onde morou. Nós cristão não devemos agir assim. Lembrar-nos e falar de onde Jesus nos tirou e a mudança que Ele proporcionou em nossas vidas serve de testemunho, de incentivo para outros. Lembrar-nos de todos os benefícios que o Senhor tem nos feito, nos levará a bendizer o nome do Senhor. O Salmo 103 nos exorta a nos lembrar de todos os benefícios que o Senhor tem nos feito. O ato de lembrar, nos levará a reconhecer que só o Senhor poderia ter feito tantas maravilhas em nossas vidas e assim nós aproveitamos o momento para agradecê-lo mais uma vez e adorá-lo na beleza de sua Santidade. Coisa maravilhosa é um coração agradecido.
De onde nós caímos
“Lembra-te de onde caíste e te arrependes...” Apocalipse 2.5
Nós brasileiros de fato gostamos de levar vantagens em tudo. Aproveitamos a oportunidade de furar a fila. Gostamos de atalhos, fazemos bandalhas, tudo isto para chegarmos a frente. Isto não é correto na vida material e muito menos na vida espiritual. Nas coisas de Deus não tem jeitinho, não tem panelinha, não tem apadrinhamento. A ordem de Deus é enfática. Ainda soa aos nossos ouvidos a ordem que Ele deu a Elias o profeta: Vai, volta pelo teu caminho. Ou seja volta no local exato em que você se desviou o meu caminho, para entrar no teu caminho. Temos que dar meia volta e retornar ao local onde tudo começou. É ali que receberemos o perdão de Deus e recomeçaremos a nossa caminhada. 
Às vezes preferimos fugir, abandonar de vez a fé, simplesmente por causa de um orgulho bobo de não querer reconhecer que erramos e que precisamos nos arrepender para alcançarmos as misericórdias do Senhor.
Irmãos, vamos descer de nossos pedestais, vamos fazer como Acsa a filha de Calebe, que desceu da sua jumenta e se humilhou perante o pai, pedindo fontes de água. Foi bem sucedida, ganhou não somente fontes inferiores como também fontes superiores. Ou seja, ela recebeu tanto bênçãos materiais quanto bênçãos espirituais. Se ela ficasse no seu orgulho por ser de esposa Otniel,  um campeão, um herói nacional, não teria conseguido nada.
Convido a você meu amado leitor, se for o caso, humilhar-se debaixo da potente mão de Deus, confessando a Ele seus delitos e pecados e deixando. Chore, lamente o seu estado, volte onde cometeu o erro com humildade e ali Deus te levantará novamente, com mais poder e mais graça para servi-lo.
Deus em Cristo vos abençoe.
Em Cristo Pastor José Mário da Silva
Rio 07 de dezembro de 2013


O Cálice chamado abandono

Então foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos discípulos: Sentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar. E levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Então lhes disse: A minha alma está triste até a morte; ficai aqui e vigiai comigo. E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. Voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Assim nem uma hora pudestes vigiar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. Retirando-se mais uma vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. E, voltando outra vez, achou-os dormindo, porque seus olhos estavam carregados. Deixando-os novamente, foi orar terceira vez, repetindo as mesmas palavras. Então voltou para os discípulos e disse-lhes: Dormi agora e descansai. Eis que é chegada a hora, e o Filho do homem está sendo entregue nas mãos dos pecadores. Levantai-vos, vamo-nos; eis que é chegado aquele que me trai. Mateus 26.36-46

Cerca da hora nona, bradou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactani; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Alguns dos que ali estavam, ouvindo isso, diziam: Ele chama por Elias. E logo correu um deles, tomou uma esponja, ensopou-a em vinagre e, pondo-a numa cana, dava-lhe de beber. Os outros, porém, disseram: Deixa, vejamos se Elias vem salvá-lo. De novo bradou Jesus com grande voz, e entregou o espírito. Mateus 27.4-50

Introdução:
Quero compartilhar convosco nesta noite, uma palavra que mexeu muito com o meu emocional, e que intitulei de: O Cálice chamado abandono.
O abandono pode ser observado sob dois aspectos: Primeiro aspecto é o  abandono com o  sentido de descaso. Neste caso, temos o abandono ou descaso das autoridades, de objetos, da natureza e situações diversas, como nos é mostrado através dos meios de comunicação tais como: a cidade abandonada, saúde da população abandonada, segurança do povo abandonada. O segundo aspecto é o que diz respeito a pessoas que são abandonadas. É exatamente este aspecto que queremos enfocar nesta noite. Temos visto crianças que são abandonadas por suas mães, por motivos diversos. Essas crianças vão crescer traumatizadas e terão muitas dificuldades de usufruir da felicidade. O mesmo tem acontecido com pessoas idosas que são abandonadas  em asilos esperando a morte chegar. Enfim, vivemos numa época que é comum pais abandonarem os filhos e os filhos abandonarem os pais. Até mesmo nos ciclos de amizades estamos vendo, amigos abandonarem seus amigos, porque se tornam egoístas e individualistas, pensando no seu próprio bem estar, sem se importar com o sofrimento do dito amigo. A Bíblia relata alguns abandonos como o de Ismael, que foi abandonado no deserto por Agar. De Moisés, que foi abandonado a sua própria sorte no Rio Nilo e fala também do abandono de Jesus Cristo. Quer saber a dor do abandono é só olhar para Jesus. No Getsêmane lhe é oferecido este cálice chamado abandono. O ABANDONO ERA O CÁLICE QUE Jesus não queria beber. Quando o vê, sua alma se entristece e ele se angustia tanto, que é preciso um anjo vir confortá-lo. Ora ao Pai com tanta intensidade, querendo fugir daquele cálice que as gotas de seu suor, se transformaram em gotas de sangue. Mas por amor a mim e a você, ele se dispõe a fazer a vontade do Pai. É na cruz que vamos perceber que a dor maior de Jesus, não foram as afrontas, as zombarias, nem as chicotadas. Também não foram os cravos e nem a lança que perfurou o seu lado e nem a coroa de espinho. A dor maior foi quando se sentiu abandonado pelo próprio Pai. Só quem já bebeu este cálice chamado abandono, sabe o quanto ele é amargo. Da multidão que o seguia agora Jesus só vê sua mãe Maria e João, o discípulo amado. Os demais caíram fora, abandonando Jesus. O abandono fere a alma, mexe com as nossas estruturas, e faz-nos questionar a nossa própria fé. O abandono nos faz ficar tristes e melancólicos, sem perspectiva de vida, sem esperança. Mas estamos aqui nesta noite para participarmos da santa ceia, bebermos do sangue da nova aliança e assim entendermos que a cruz de Cristo está a nos dizer: Que ainda que o nossos pai e parentes nos abandonem. Ainda que os amigos virem as costas para nós e nos deixam sujeitos a nossa própria sorte, Ele Jesus jamais nos abandonará. Como Ele mesmo disse: Que onde Ele estiverem nos estaríamos também. E os que vem a Ele , de maneira nenhuma Ele lança fora.
A ILHA DOS SENTIMENTOS
Era uma vez uma ilha onde moravam os sentimentos.
Num dia de muita tempestade a ilha toda foi inundada e cada um procurou salvar-se como pode.

O AMOR, no entanto, não se apressou, pois queria ficar um pouco mais com sua ilha tão querida. Mas a situação ficou feia e ele começou a se afogar.

Ao ver a RIQUEZA passando em seu luxuoso iate, pediu ajuda: - Não posso levar você, não cabe. Meu barco está cheio de ouro e prata!
Ao ver a VAIDADE passar, também pediu ajuda: -Não posso, você está todo sujo e vai sujar meu barquinho!
Ao ver a TRISTEZA passar, também pediu ajuda: -Ah! AMOR, estou tão triste... prefiro ficar sozinha!
A INDIFERENÇA nem sequer respondeu ao seu pedido de socorro.

Foi então que passou um velhinho e a socorreu: -Sobe, AMOR, eu levo você. O Amor ficou tão feliz e aliviado que até se esqueceu de perguntar o nome do seu benfeitor.

Chegando ao alto de um morro, onde estavam os sentimentos que se haviam salvado, ele perguntou à SABEDORIA: -Quem é aquele velhinho que me salvou?

Ela respondeu: -O TEMPO. Somente o TEMPO é capaz de dar valor a um grande AMOR.

Tempo de refletir sobre o Arrebatamento da Igreja

A Igreja de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo aqui na terra, tem plena consciência de que estamos vivendo dias difíceis, os quais o apóstolo Paulo chamou de tempos trabalhosos. Sem dúvida alguma é a reta final da Igreja na terra. 

Os sinais de volta de Jesus são evidentes, tanto no Mundo quanto na Igreja. O Perigo que corremos é que estamos nos acostumando com estes sinais: fome, pestes, iniquidades, violências, corrupção, etc, tornou-se coisa comum, normal, natural em nossos dias.  

Estamos vivendo num clima de acomodação perigosíssimo. Eu diria que o quadro atual é descrito na Parábola das Dez Virgens. “E tardando o noivo, adormeceram todas” . 

Parece que estamos vivendo o finalzinho da Undécima Hora, adormecidos. Fenômeno algum que esteja ocorrendo em nossos dias tem o poder de nos despertar? Nem tsunami, nem formação, nem terremotos, nem pestes, nem epidemias ou outros fenômenos quaisquer. 

Mas louvado seja o nosso Deus, pois assim como as virgens foram despertadas com o grito de Ai vem o noivo, a Igreja também  será arrebatada com o soar da trombeta. O som desta trombeta será o sinal para o despertar da Igreja, portanto, Desperta Igreja de Cristo, Desperta Caetés Jesus está voltando.

Pastor José Mário da Silva

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Tempo de Superação. Palestra Motivacional

2 Coríntios 2.14
Introdução:
 "Se você encontrar um caminho sem obstáculos, ele provavelmente não leva a lugar nenhum".  Frank Clark
Analisando esta frase, chegamos a conclusão que é exatamente isto que a maioria dos seres humanos esperam encontrar: um caminho sem obstáculos. Uma estrada sem curvas. Estes caminhos são perigosos, pois nos faz relaxar e se acomodar e pode ser fatal. A vida cristã no entanto, é uma vida de muitos desafios e também muitos obstáculos. A Bíblia vai dizer que nós somos mais do que vencedores, portanto, está implícita a seguinte verdade. Só seremos vencedores se lutarmos. A Bíblia vai dizer também, que Deus não tem prazer naqueles que recuam. A ordem para os covardes e medrosos é que voltem. É  dever nosso como líderes  que somos ,  incentivar, motivar e encorajar os nossos liderados, para que se superem e se tornem crentes bem sucedidos em Cristo Jesus, em todas aas áreas de suas vidas. Aprendamos com o nosso Deus algumas lições nesta [área, pois Ele sempre encorajou àqueles que Ele chamou e chama para a sua Obra. Nesta Palestra motivacional, meu objetivo é levar a você crer que podemos todas as coisas, naquele que nos fortalece. Fp 4.13
ASSIM SENDO, EM CRISTO JESUS, VAMOS SUPERAR:
1.      Baixo Estima (sentimento de inferioridade)
a.      Moisés tinha problemas na fala
b.      Gideão - menor família – menor da casa
c.       Salomão – não tinha aceitação para ser rei
2.      Preconceito (Bulling)
a.      Jabes - tristeza
b.      Eudes – canhoto
c.       Davi – ruivo
d.      Jefté – filho de uma prostituta
e.      Zaqueu – Pequena estatura
f.        Samaritanos – classe inferior
3.      Medo  
a.      Josué – Não pasme e nem te espantes
b.      22 mil dos convocados por Gideão
c.       Jeosafá – temeu o exército que veio contra ele
d.      Pedro – teve medo quando andou sobre as águas.
4.      Impaciência (Precipitação)
5.      Falta de fé. (Confiar em Deus é tudo) JÓ

Pastor José Mário da Silva, em 19 de agosto de 2014

Tempo de Tocar em Deus

Jó 1.6-11
Homens que Tocaram em Deus:
1.  Noé – Achou graça
2.  Abraão
3.  Davi – Achei um homem segundo o meu coração
4.  Acabe – Ele se arrependeu Elias
5.  Mamasses – rei de Israel
6.  O centurião que procurou Jesus para curar o seu servo
7.  Cornélio
A importância de um Abraço
Eclesiastes 3.5
Calor humano
1.  Gilberto Gil – Aquele abraço
2.  Pelé e Edinho – falta de um abraço
3.  Abraçar um ideal
4.   Abraçar simbolicamente
I – O que um abraço pode fazer:
1.  Desfazer inimizades entre irmãos: Esaú e Jacó
2.  Apagar anos intermináveis de saudades (matar saudades) Encontro de Jacó e seu filho José.
3.  A adoção de filhos – Jacó adotou os dois filhos de José abraçando-os
4.  Tomar para si um problema insolúvel – Elias e o filho da viúva de Zarefate – I Reis 17.17-24
5.  Transmitir vida a um menino morto. Eliseu e o filho da Sunamita – 2 Reis 4.32-37
6.  Despedida de Paulo aos discípulos – Atos 20.1
II – O perigo de Eutico – Atos 20.7-12 (Cidade de Trôade)
1.  Sentado na janela de um edifício:
a)   O corpo estava dentro de casa
b)  A cabeça estava fora
c)   Momento de indecisão
d)  Não sabe se vai
e)   Não sabe se fica
f)    O resultado foi a queda e a morte súbita
O que fazer com um menino morto
Tocar em alguém - A importância do toque
O toque é muito importante. Ele faz parte dos cinco sentidos, e todos são muito importantes para que se tenha uma vida emocional equilibrada.  O toque tem sido descrito como uma das mais importantes formas de comunicação humana. Além de transmitir sentimentos, pode contribuir para reduzir o medo e a ansiedade do outro, proporcionando bem estar físico e psicológico. O toque é uma parte fundamental da existência humana. Estudos em crianças mostraram a importância dos abraços e do toque carinhoso, regular  para o desenvolvimento cerebral. Estes benefícios não acabam na infância. Viver sem contato físico é de facto uma vida solitária.
A diferença entre o toque e o empurrão.
Jesus não pode ser colocado contra a parede.
Jesus não pode se pressionado e nem age sob pressão.

 O que significa impor as mãos?
O ato de impor as mãos é antigo e não tem apenas um significado. Ele foi usado no Antigo e no Novo Testamento com os mais diversos objetivos.
1.  Imposição de mãos para abençoar pessoas.
a.   Jacó (Israel) abençoando Mamasses e Efrain (Gn 48. 14).
b.  Jesus abençoando as crianças – Marcos 10.16
2.  Imposição de mãos para consagração para uma missão, um serviço ou algum cargo.
a.   Moisés impôs as mãos sobre Josué e o consagrou como seu sucessor (Nm 27. 23). Josué 1.16,17
b.  Os Líderes da Igreja impondo as mãos sobre Barnabé e Paulo – Atos 13.3
c.   Os primeiros diáconos – Atos 6.5,6
3.  Imposição de mãos para curar qualquer tipo de enfermidade:
a.   Jesus – Lucas 4.40
b.  Ananias Atos 9.12
c.   Paulo –  Atos 28. 8
4.  Imposição de mãos para batismo com o Espírito Santo:
a.   Pedro – Atos 8.14-17
b.  Paulo – Atos 19.6
5.  Imposição de mãos para concessão de dons Espirituais
a.   Timóteo – 1 Timóteo 4.14; 2 Timóteo 1.6
6.  Imposição de mãos para transmitir confiança
a.   João na Ilha de Pátmos – Apocalipse 1.17
Cuidado que temos que ter com o impor as mãos:
1.  Não impor mãos precipitadamente – 1 Timóteo 5.22
2.  Não deixar qualquer pessoa impor as mãos sobre a nossa cabeça. Faça como Neemias, Ore ao Deus dos céus – Neemias 2.4,5
3.  Confessar as nossas culpas uns aos outros – Tiago 5.14-16

4.  Não parar de praticar as doutrinas bíblicas. Hebreus 6.1,2

Tempo de Tocar em Deus

Jó 1.6-11
Homens que Tocaram em Deus:
1.  Noé – Achou graça
2.  Abraão
3.  Davi – Achei um homem segundo o meu coração
4.  Acabe – Ele se arrependeu Elias
5.  Mamasses – rei de Israel
6.  O centurião que procurou Jesus para curar o seu servo
7.  Cornélio
A importância de um Abraço
Eclesiastes 3.5
Calor humano
1.  Gilberto Gil – Aquele abraço
2.  Pelé e Edinho – falta de um abraço
3.  Abraçar um ideal
4.   Abraçar simbolicamente
I – O que um abraço pode fazer:
1.  Desfazer inimizades entre irmãos: Esaú e Jacó
2.  Apagar anos intermináveis de saudades (matar saudades) Encontro de Jacó e seu filho José.
3.  A adoção de filhos – Jacó adotou os dois filhos de José abraçando-os
4.  Tomar para si um problema insolúvel – Elias e o filho da viúva de Zarefate – I Reis 17.17-24
5.  Transmitir vida a um menino morto. Eliseu e o filho da Sunamita – 2 Reis 4.32-37
6.  Despedida de Paulo aos discípulos – Atos 20.1
II – O perigo de Eutico – Atos 20.7-12 (Cidade de Trôade)
1.  Sentado na janela de um edifício:
a)   O corpo estava dentro de casa
b)  A cabeça estava fora
c)   Momento de indecisão
d)  Não sabe se vai
e)   Não sabe se fica
f)    O resultado foi a queda e a morte súbita
O que fazer com um menino morto
Tocar em alguém - A importância do toque
O toque é muito importante. Ele faz parte dos cinco sentidos, e todos são muito importantes para que se tenha uma vida emocional equilibrada.  O toque tem sido descrito como uma das mais importantes formas de comunicação humana. Além de transmitir sentimentos, pode contribuir para reduzir o medo e a ansiedade do outro, proporcionando bem estar físico e psicológico. O toque é uma parte fundamental da existência humana. Estudos em crianças mostraram a importância dos abraços e do toque carinhoso, regular  para o desenvolvimento cerebral. Estes benefícios não acabam na infância. Viver sem contato físico é de facto uma vida solitária.
A diferença entre o toque e o empurrão.
Jesus não pode ser colocado contra a parede.
Jesus não pode se pressionado e nem age sob pressão.

 O que significa impor as mãos?
O ato de impor as mãos é antigo e não tem apenas um significado. Ele foi usado no Antigo e no Novo Testamento com os mais diversos objetivos.
1.  Imposição de mãos para abençoar pessoas.
a.   Jacó (Israel) abençoando Mamasses e Efrain (Gn 48. 14).
b.  Jesus abençoando as crianças – Marcos 10.16
2.  Imposição de mãos para consagração para uma missão, um serviço ou algum cargo.
a.   Moisés impôs as mãos sobre Josué e o consagrou como seu sucessor (Nm 27. 23). Josué 1.16,17
b.  Os Líderes da Igreja impondo as mãos sobre Barnabé e Paulo – Atos 13.3
c.   Os primeiros diáconos – Atos 6.5,6
3.  Imposição de mãos para curar qualquer tipo de enfermidade:
a.   Jesus – Lucas 4.40
b.  Ananias Atos 9.12
c.   Paulo –  Atos 28. 8
4.  Imposição de mãos para batismo com o Espírito Santo:
a.   Pedro – Atos 8.14-17
b.  Paulo – Atos 19.6
5.  Imposição de mãos para concessão de dons Espirituais
a.   Timóteo – 1 Timóteo 4.14; 2 Timóteo 1.6
6.  Imposição de mãos para transmitir confiança
a.   João na Ilha de Pátmos – Apocalipse 1.17
Cuidado que temos que ter com o impor as mãos:
1.  Não impor mãos precipitadamente – 1 Timóteo 5.22
2.  Não deixar qualquer pessoa impor as mãos sobre a nossa cabeça. Faça como Neemias, Ore ao Deus dos céus – Neemias 2.4,5
3.  Confessar as nossas culpas uns aos outros – Tiago 5.14-16

4.  Não parar de praticar as doutrinas bíblicas. Hebreus 6.1,2